Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010

PNE 2011-2020 - Conheça as 20 metas para a Educação

O Plano Nacional de Educação (PNE) para a próxima década foi entregue pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (15). O documento deverá ser enviado ao Congresso, para apreciação dos parlamentares e, após aprovação, servirá como diretriz para todas as políticas educacionais do País.Baixe o PNE 2011-2020 aquiO PNE 2011-2020 é composto por 12 artigos e um anexo com 20 metas para a Educação.

Conheça abaixo as metas para a Educação expostas no Plano:Meta 1: Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 4 e 5 anos, e ampliar, até 2020, a oferta de Educação Infantil de forma a atender a 50% da população de até 3 anos.Meta 2: Universalizar o ensino fundamental de nove anos para toda população de 6 a 14 anos.Meta 3: Universalizar, até 2016, o atendimento escolar para toda a população de 15 a 17 anos e elevar, até 2020, a taxa líquida de matrículas no ensino médio para 85%, nesta faixa etária.Meta 4: Universalizar, p…

Clarice Lispector e a Lucidez

A Lucidez Perigosa

Estou sentindo uma clareza tão grande
que me anula como pessoa atual e comum:
é uma lucidez vazia, como explicar?
Assim como um cálculo matemático perfeito
do qual, no entanto, não se precise.
Estou por assim dizer vendo claramente o vazio.
E nem entendo aquilo que entendo:
pois estou infinitamente maior que eu mesma,
e não me alcanço.
Além do que:
que faço dessa lucidez?
Sei também que esta minha lucidez
pode-se tornar o inferno humano-
já me aconteceu antes.
Pois sei que - em termos de nossa diária
e permanente acomodação
resignada à irrealidade -
essa clareza de realidade é um risco.
Apagai, pois, minha flama, Deus,
porque ela não me serve para viver os dias.
Ajudai-me a de novo consistir
dos modos possíveis.
Eu consisto,
eu consisto,
amém.

Clarice Lispector

VIVER - Carlos Drummond de Andrade

VIVER Carlos Drummond de Andrade
Mas era apenas isso, era isso, mais nada? Era só a batida numa porta fechada?
E ninguém respondendo, nenhum gesto de abrir: era, sem fechadura, uma chave perdida?
Isso, ou menos que isso, uma noção de porta, o projeto de abri-la sem haver outro lado?
O projeto de escuta à procura de som? O responder que oferta o dom de uma recusa?
Como viver o mundo em termos de esperança? E que palavra é essa que a vida não alcança?